Dormir é perda de tempo?

E se você descobrisse que existe algo que pode aumentar seu tempo e qualidade de vida? Pois é, esse algo existe! Estou falando do sono. Se você não sabia disso, agora você já sabe que a qualidade do seu sono pode te fazer viver mais e melhor. Mas a principal questão é: por que temos um recurso extremamente potente ao alcance ali no nosso travesseiro e usamos de forma tão pouco eficaz?


Para responder esta pergunta vamos passar por:

  1. 1 - Qual a função do sono em nossas vidas?

  2. 2 - Quais os prejuízos do sono de má qualidade?

  3. 3 - Por que temos dificuldade de reconhecer a importância do sono?

  4. 4 - Como transformar nossa relação com o sono?

E ao longo do texto você ainda vai encontrar outros pontos de vista inspirados na mitologia grega que podem chacoalhar sua relação com seu sono. Acompanhe as reflexões a seguir.

  1. 1 - Qual a função do sono em nossas vidas?

Uma soneca, pestana, sesta ou cochilo, seja lá como você chama carinhosamente seu sono, ele está associado à sensação de descanso e de aconchego, um momento para recarregar as energias para um novo ciclo. Pois bem, mas a sua soneca tem uma função ainda mais importante do que o descanso, a consolidação e integração de todas as experiências relevantes do seu dia, além da reorganização fisiológica global.

De acordo com Matthew Walker (2018) em seu livro “Por que nós dormimos?”, para que possamos usufruir dos benefícios do sono precisamos passar por cinco ciclos de duas fases do sono. A primeira fase (Sem Movimento Rápido dos Olhos - NREM) é uma espécie de peneira que seleciona as memórias que serão descartadas e aquelas que serão registradas no córtex cerebral. A segunda fase do sono (Movimento Rápido dos Olhos - REM) é o momento do sono em que as experiências selecionadas são integradas na sua história. E é aqui que entra a função do sonho, ele ajuda a integrar as emoções memórias através de associações simbólicas que além de tudo estimulam nossa criatividade.

Enquanto as fases de sono se alternam acontece um complexo processo bioquímico que revitaliza o sistema imunológico, metabólico e a funcionalidade dos órgãos, sistemas, tecidos e células. Todo esse processo se distribui em ciclos subsequentes de cerca de 90 minutos cada, que permitem um sono cada vez mais profundo. Isso quer dizer que por volta do quarto e quinto ciclos, o sono REM fica mais extenso, ampliando sua efetividade, o que não ocorre quando o sono é encurtado e não chega neste estágio.

É preciso considerar também que crianças, adolescentes, adultos e idosos apresentam variações neste ciclo do sono. Por exemplo, crianças e adolescentes precisam de ainda mais ciclos de sono por estarem em franco desenvolvimento. Então, se seu adolescente precisar de um pouco mais de sono, saiba que isso nem sempre é sinônimo de preguiça, pode ser uma necessidade real do processo de desenvolvimento.

Quando Walker responde ao título do seu livro "Por que nós dormimos?" a resposta mais objetiva que encontramos é: “nós dormimos para termos saúde e vivermos mais”.

  1. 2 - Quais os prejuízos do sono de má qualidade?

É muito provável que você esteja lendo este artigo porque está sentindo dificuldades para dormir ou porque seu sono parece que não é suficiente, já que ao acordar continua cansado como no dia anterior. Saiba que há muitas pessoas sentindo o mesmo que você, principalmente após o processo de pandemia global de Covid-19. Segundo pesquisa publicada pelo Ministério da Saúde (2020), 43% dos adultos e idosos pesquisados indicaram início de problemas de sono durante a pandemia. É uma proporção de quase metade da população relatando piora na qualidade do sono devido às alterações de rotina e condições socioeconômicas relacionadas à pandemia. Não podemos negar o impacto desta realidade e o que ela pode significar.

Um sono de má qualidade pode envolver dificuldade para pegar no sono, dificuldade para manter o sono, com períodos acordados durante a noite, e ainda há os sonos que, embora sejam longos, não são reparadores porque não atingem os períodos necessários de sono REM para cumprir sua função. A hipersonia, por exemplo, que é o excesso de sono disfuncional, pode estar associada a alguns quadros de transtornos psicológicos como Depressão, Transtorno Bipolar, entre outros. Se você quiser saber mais sobre a insônia e outros fatores psicológicos envolvidos na má qualidade do sono, aqui você vai encontrar um outro artigo que pode ser interessante.

Se você ainda tem dúvidas de que seu sono é importante, veja alguns prejuízos que a má qualidade do sono pode trazer:

  • - Diminuição da longevidade;

  • - Aumento das chances de problemas cardiovasculares;

  • - Aumento das chances de desenvolver diabetes;

  • - Maior risco de desenvolver processos de demência como o Alzheimer;

  • - Maior suscetibilidade a doenças derivadas de um sistema imunológico e endocrinológico disfuncional;

  • - Dificuldades de aprendizagem causadas por falhas de memória e concentração.

E se você sente que precisa recorrer a recursos para dormir, como o uso de álcool, saiba que, embora aparentemente, ele contribua para pegar no sono, na verdade, dificulta a entrada no sono REM, mantendo a sensação de cansaço após o sono. Então, se você está com alterações de sono, procure um profissional da Medicina para cuidar do seu organismo e um profissional da Psicologia para ajudar a desenvolver novos hábitos de autocuidado. Junto com a alimentação, a atividade física e a saúde psicológica, o sono é um dos pilares para ampliar sua longevidade e qualidade de vida.

  1. 3 - Por que temos dificuldade de reconhecer a importância do sono?

Peço uma licença poética e filosófica a Hesíodo e Homero, os pais da mitologia grega, para trazer uma curiosidade que encontrei enquanto pesquisava o tema para preparar este artigo para vocês. Lembram da expressão “foi para os braços de Morfeu”? Usamos esta expressão para dizer que uma pessoa terá um sono tranquilo. Esta expressão está associada a Morfeu, o deus dos sonhos bons e tranquilos. Mas na verdade, Morfeu é um dos filhos de Hypnos, este sim é o deus do sono, aquele que vivia sempre em paz e silêncio.

E aqui está a maior curiosidade mitológica sobre o sono, Hypnos era irmão gêmeo de Hades, o deus da morte. Por serem tão semelhantes, o sono e a morte, há uma associação de que dormir é sinônimo de perda de vida. Esse simbolismo nos ajuda a compreender como fomos construindo o significado pejorativo de dormir, como sinônimo de preguiça, improdutividade e que nos faz usar este recurso natural e potente muito menos do que poderíamos.

Com as características de aceleração do nosso jeito de viver e o foco moderno na produtividade como pilar para o sucesso, acredito que o desafio não está apenas em melhorar a quantidade ou a qualidade do sono. Enquanto buscamos isso, talvez precisemos repaginar como estamos lidando com a vigília também. Acompanhem esta reflexão, se estar acordado é sinônimo de estar consciente, talvez estejamos dormindo bem mais do que imaginamos. Mas não aquele sono reparador que aumenta a qualidade de vida, falo sobre "dormir acordado" durante o dia.

Estar em vigília, mas sem prestar atenção nas necessidades do seu corpo e da sua existência pode nos levar à negligência do nosso autocuidado. É assim que acabamos espremendo o sono entre algumas horas interrompidas por sobressaltos de ansiedade.


  1. 4 - Como transformar nossa relação com o sono?


Não há dúvidas de que não ter sono de qualidade é um processo destrutivo do funcionamento orgânico e psicológico. Então, se você não está dormindo bem, atenção: algo não está ok! Procure um profissional da saúde e amplie sua consciência sobre como o sono funciona. Você tem um elixir que melhora sua saúde, restaura suas funções cognitivas e orgânicas e ainda pode ampliar seu tempo de vida. Mas você pode estar precisando de ajuda para aprender a usá-lo.


Uma das afirmações mais emblemáticas de Walker é que “O número de pessoas que podem sobreviver a 5 horas de sono ou menos sem nenhum prejuízo, expresso como uma porcentagem da população e arredondado, é zero.” Esta é uma das reflexões que nos levam a afirmar que cuidar do seu sono é uma urgência! Então, preste atenção às necessidades do seu organismo para integrar a busca pelos seus sonhos ao cuidado com a sua vida.

Dito isso, vamos a 2 dicas sobre como usar seu sono e ainda assim manter sua produtividade:

  • Durma antes e depois de estudar: O sono antes de estudar garante a qualidade da sua concentração otimizando as suas conexões neuronais para fazer novas associações e consolidar aprendizagens. E para fechar com chave de ouro, durma depois de estudar. Os estudos mostram que uma soneca depois de absorver novas informações e conhecimentos pode transformá-los em aprendizagens de longo prazo e ampliar sua capacidade de fazer novas conexões.

  • Faça uma pausa para um cochilo ao longo do dia: Já sabemos que depois de 16 horas acordado, o cérebro começa a dar sinais de falhas. Então, se for possível não deixar o sono todo concentrado apenas a noite, estaremos nos distanciando deste desgaste extremo, regulando o funcionamento orgânico e ampliando nossa disponibilidade psicológica para realizar as atividades diárias.

Muita coisa acontece durante o sono, isso não é perda de tempo. Lembre-se disso antes de dormir e, se for possível, na dúvida durma mais! Se depois destas reflexões você ainda tiver dificuldades para desenvolver uma boa qualidade de sono, clique aqui e converse com uma pessoa da nossa equipe, uma consulta psicológica pode ajudar!

Maira Flôr

Psicóloga

CRP 12/08932

(48) 99642-9889

Destaques
Recentes
Arquivados
Procure por Tags
Nos Acompanhe
  • Facebook Basic Square
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon