5 dicas para fazer planos de casal

Façam planos, mas não cristalizem suas perspectivas sobre a chegada. A vida é imprevisivelmente fluida e provavelmente vai convidar vocês a reprogramarem rotas diversas vezes!


As relações amorosas são um dos territórios da vida onde mais idealizamos e fantasiamos futuros. Isso porque crescemos ouvindo histórias infantis e outras histórias de antepassados que viveram "felizes para sempre", no entanto, as pesquisas do IBGE (2020) apontam que o número de casamentos no Brasil caiu pelo quarto ano consecutivo e os divórcios também estão mais numerosos. Esta distância entre o que as pessoas sonham e o que muitos casais vivem gera angústias e ansiedades significativas e, além disso, revela a necessidade de compreender mais sobre as possibilidades dos nossos relacionamentos reais.


As 5 dicas sobre como fazer planos de casal que preparamos para vocês não são uma receita de bolo para um futuro próspero da sua relação amorosa, mas são pontos de reflexão que podem ser interessantes para encurtar a distância entre as expectativas individuais e as possibilidades do casal. Então vamos às dicas:


1. Mergulhe no autoconhecimento


Antes de tudo, vamos abrir um parênteses na sua relação amorosa e olhar para você. Pergunte-se: o que você realmente deseja para sua vida? E como você vem construindo nos últimos anos realmente caminha para esta direção? Estas perguntas são possíveis pontos de partida para ampliar sua consciência sobre quem é você na sua vida, no que você vem pensando ultimamente, o que seus sentimentos estão te dizendo sobre você.

Mas porque é importante mergulhar no seu autoconhecimento? Porque nossas relações podem funcionar como um espelho, revelando verdades sobre você, que nem sempre você esperava. E, como toda surpresa, estas descobertas inesperadas podem trazer dificuldade de aceitação e angústia. Por vezes precisaremos de tempo para assimilar e acomodar as novas percepções.

Por outro lado, quando estamos abertos para ampliar perspectivas sobre quem somos e como funcionamos, nos tornamos menos reativos e receosos ao que nossas relações podem nos proporcionar. Então, embora possa parecer contraditório, ampliar sua consciência sobre como você funciona na vida pode aumentar sua capacidade de escuta e compreensão do outro.

Dito isso, lembre-se: se você quer construir planos de casal, antes de tudo, esteja aberto às realidades que existem em você. Para construir planos em conjunto é importante ter abertura e clareza para descobrir e redescobrir o que você realmente sente que precisa viver.


2. Reconheça expectativas


No processo de descobrir mais sobre quem você é e como você funciona nas relações, algumas expectativas sobre seu relacionamento amoroso também vão se revelando. São sonhos, idealizações e desejos tanto do que você espera viver com o outro, quanto do que você espera que o outro seja ou faça para você sentir realização.

Mas sabe o que é mais curioso nessa história? É que provavelmente você tem expectativas que nem se deu conta ainda, mas elas estão por aí. Elas aparecem em alguns pensamentos recorrentes, naquelas imagens de futuras vivências que brotam na sua imaginação como cenas de filme, naqueles sonhos que você pode nem estar dando importância.

Pois bem! Mas ainda que pareçam despretensiosos, esses pensamentos, sentimentos e imaginações podem aparecer em pequenos comentários e indiretas na relação com sua parceira ou parceiro, criando clima de cobrança e acusações recheadas de sentimentos de frustração, decepção e desvalorização mútua. Já viu onde isso vai dar não é? Conflitos e desentendimentos.

Então, reconheça suas expectativas, as que você gosta e também aquelas que você não gostaria de ter. E não esqueça que a outra pessoa não faz ideia do que se passa nos seus sentimentos e pensamentos, a não ser que você comunique com transparência. Isso é essencial para vocês poderem elaborar planos de casal que realizem ambos.



3. Encontre os pontos em comum


Encontrar pontos comuns pode até parecer simples, mas a questão é que nosso processamento perceptivo da realidade está habituado a dualidades: uma coisa ou outra e não uma coisa e outra. Isso porque de fato muitas coisas são incompatíveis. Mas se desejamos construir planos em comum, vamos precisar exercitar o olhar para o que está entre os dois. Onde estão os pontos que se cruzam, se conectam, se tocam?

Gosto daquela analogia sobre a laranja: temos apenas uma laranja que pertence a duas pessoas e ambos precisam dela. A primeira ideia que vem à mente é que pode-se dividir a laranja em duas partes iguais. No entanto, quando conversamos um pouco mais com as duas pessoas, descobrimos que uma tem sede e deseja o suco, já a outra deseja fazer um doce de laranja com a casca. Ambas podem ter seus objetivos alcançados se houver escuta e compreensão.

O que esta analogia traz de contribuição para a construção dos seus planos de casal é que nem sempre construir algo em comum significa renunciar a uma metade. Além do que escutar e expressar pode nos levar a lugares comuns surpreendentes.


4. Amplie a capacidade de diálogo


Ok, já sabemos que dialogar envolve escuta, assim como envolve expressão. Esses, por sua vez, envolvem interesse sincero e a valorização do que o outro deseja expressar tanto quanto a valorização do que você mesmo compartilha. Então não apresse os passos pensando no que fazer. Muitos diálogos se frustram porque partimos para a ação antes de compreender mais nitidamente o que o diálogo pode revelar.

Diálogos que levam à compreensão podem desfazer nós e travas importantes das relações. Então se você quer incluir ou retirar elementos dos seus planos de casal, dialogue sempre. E para ampliar sua capacidade de diálogo, mergulhe no ponto de referência do outro até que o outro se sinta compreendido e quando for você a se expressar, só pare de buscar outras formas de se fazer entender quando se sentir compreendido.


5. Reprograme a rota sempre que necessário


Quando os planos de casal estiverem desenhados, com seus passos definidos e em andamento, já vai dar para experimentar um sentimento de alívio, satisfação e realização. Mas não se engane, esses sentimentos não estão aí porque o processo está pronto. Esses sentimentos vêm do movimento, do estado de fluxo de sentir a vida caminhando.

A vida é mesmo fluida e está sempre em movimento, nós mesmos vamos mudando ao longo do processo. Então, isso quer dizer que provavelmente seus planos de casal vão sofrer alterações no percurso. Não cristalize seus planos, mantenha-se aberto ao movimento e vamos descobrir o que as próximas curvas da estrada nos revelam.

E lembre-se, se vocês estiverem com dificuldade de construir seus planos de casal em qualquer um dos seus aspectos, uma terapia de casal pode ser bem-vinda. Se desejar saber mais sobre como a Psicologia pode ajudar nos seus processos relacionais, clique aqui e fale com uma das nossas psicólogas, ela vai tirar suas dúvidas.


Obrigada por acompanhar nosso blog! Nos vemos no próximo texto.

Maira Flôr

Psicóloga

CRP 12/08932

(48) 99642-9889

Destaques
Recentes
Arquivados
Procure por Tags
Nos Acompanhe
  • Facebook Basic Square
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon