Aprenda a construir relações saudáveis


Quantas vezes você já se sentiu atropelado pelas pessoas? E quantas dessas pessoas faziam parte das suas relações afetivas? Pois é! As pessoas, independentemente de fazerem parte ou não do nosso círculo de relações afetivas, furam filas e tentam tirar vantagem umas das outras, sempre que possível. São tantos desentendimentos! Tantos ressentimentos que não podemos desconsiderar que, muitas vezes, somos nós que atropelamos as pessoas sem querer. O que está acontecendo com as nossas relações?


Ora tentamos nos proteger de agressões aparentemente gratuitas, ora desconsideramos as pessoas sem perceber. E o mais angustiante de tudo isso é que, mesmo nos momentos em que estamos tentando fazer diferente, o resultado pode ser frustração acompanhada de comportamento agressivo e cansaço revestido de isolamento social.


É assim que muitas das nossas relações acabam se tornando descartáveis. Mas como nem todas as relações são tão fáceis de serem descartadas, tudo fica mais difícil quando estamos vivendo essa experiência com familiares ou colegas de trabalho. (Sobre o segredo de relações duradouras acesse o link: bit.ly/relacoesduradouras)


Puxa! Nesses momentos, parece ser tão difícil de encontrar um jeito de nos relacionarmos respeitando as diferenças, não é mesmo? Então, parece imprescindível desenvolver nossas habilidades para construir relacionamentos colaborativos. Mas como podemos fazer isso? Eu aprendi que, para desatar esse nó, precisamos, antes de mais nada, reconhecer a nossa individualidade:


  • Quais as suas características pessoais?

  • Como elas se apresentam quando você está em uma relação com alguém?

  • O que você espera do outro?


Estas respostas poderão ajudar a identificar quem somos e que necessidades estamos querendo suprir quando estamos em uma relação com alguém. De posse dessa consciência, descobriremos uma forma mais límpida de comunicar nossos interesses pessoais para quem estiver ao nosso lado.


Quando sabemos o que queremos comunicar e depuramos a forma de nos expressarmos, podemos até ajudar as pessoas a fazerem o mesmo. Sabe por quê? Porque quando nos tornamos conscientes das nossas características pessoais, nos tornamos mais potentes para reconhecer que o outro também tem as suas. Afinal, somos todos humanos, não é?


Sabemos que esse processo pode não ser nada fácil, mas se o exercitarmos diariamente poderemos minimizar as distorções e, quem sabe, possivelmente, até resgatar as relações afetivas que estejam se deteriorando. Então, vamos colocar as mãos na massa e fazer o que for possível para tornar as nossas relações mais saudáveis.


- Desenvolva a habilidade de lidar com as emoções - Você já percebeu como estamos acostumados a pensar e agir negligenciando a nossa capacidade de sentir? Quando tomamos consciência do que estamos sentindo, podemos compreender melhor nossa experiência e, com isso, minimizarmos os riscos de reações emocionais desproporcionais. Então, preste atenção no que seus órgãos dos sentidos captam e considere esses elementos nas suas reflexões, escolhas e ações.


- Compreenda o que conecta você às outras pessoas – A disponibilidade para compreender as emoções do outro o ajudará a desenvolver um maior respeito pelas necessidades pessoais de ambos. Sem imposições de um sobre o outro, podemos encontrar o ponto de intersecção da experiência, onde as emoções se entrelaçam em uma vivência comum. Assim, tornamo-nos mais colaborativos e desenvolveremos habilidades de comunicação, cada vez mais eficientes.


- Reconheça-se como parte de um todo - Se ampliarmos as nossas perspectivas, perceberemos que fazemos parte de um grande grupo de humanos que tenta desenvolver individualidades, enquanto garante o desenvolvimento da humanidade. Qual o seu papel nesse grande grupo? Responder a essa pergunta pode ajudá-lo a desenvolver o sentimento de pertencimento e passar a perceber as suas relações como um meio para alcançar os objetivos humanos.


Esse é um processo complexo no qual somos todos aprendizes tentando circular nos espaços entre nós. Portanto, é compreensível, e até esperado, alguns esbarrões durante as tentativas. E se precisar de ajuda para alavancar esse processo, você pode contar com os grupos de encontro que nossa equipe realiza durante o ano, ou ainda o serviço de psicoterapia presencial ou online. Será um prazer construir aprendizagem relacional com você.


Clique aqui e converse com uma de nossas psicólogas para conhecer mais e entender o que faz sentido para você.


Maira Flôr

Psicóloga

CRP 12/08932

48) 99642-9889 



Destaques
Recentes