Por que procrastino e como evitar?

Têm horas que até fazer aquela coisa insuportável da limpeza da casa fica mais interessante do que fazer o que precisa ser feito. Com o celular e as redes sociais fica ainda mais fácil surgir a tal da procrastinação. Mas você sabia que a procrastinação pode dizer muitas coisas sobre você além de mostrar que você está enrolando para fazer algo? Vou lhe explicar neste texto, não procrastine e siga comigo.


A origem da palavra procrastinar vem do latim: procrastinare, que significa "adiar, protelar". Esse significado não traz algo de negativo em si, não é mesmo? Adiar algo pode ser importante muitas vezes, mas pode causar muitos problemas e dor de cabeça em outras. Para entender melhor, vamos passar por esses pontos:


  • · Por que a procrastinação pode significar algo importante?

  • · Entendendo a procrastinação que traz prejuízos para a nossa vida:

  • - Talento x fracasso ou Facilidade x dificuldade;

  • - Comparação com os outros e com nós mesmos;

  • - Descanso e prazer;

  • - Conexão com o que está sendo feito;

  • - A relação com nós mesmos.


Por que a procrastinação pode significar algo importante?


Não sei se você já sentiu quando algo não está fluindo e a sensação de culpa de procrastinar vai aparecendo, tomando conta a ponto de nem percebermos que talvez tenha que reavaliar aquele algo. Isso mesmo, a procrastinação pode estar sinalizando alguma sensação de que talvez não seja o momento de realizar aquela ação, ou você precisa dar outros passos antes ou, ainda, nem seja de fato o que queira fazer.


Percebem que nesses casos a procrastinação pode ser um alerta? Para que possamos parar e reavaliar-nos naquela situação, nos questionarmos sobre o que estamos fazendo e se estamos dando um passo que não nos respeita ou não faz sentido real para nós.


Por isso, muitas vezes, uma boa avaliação da realidade, do que precisamos fazer e de nós mesmos nos faz adiar algumas coisas. A questão é nos atentarmos para fazermos isso com um processo de autoconsciência, nos livrando da culpa para entendermos o que está acontecendo com autorrespeito.


Mas nem sempre é assim e, muitas vezes, a procrastinação pode mesmo se tornar um problema trazendo prejuízos para a nossa vida. Por que isso acontece?


Entendendo a procrastinação que traz prejuízos para a nossa vida


A procrastinação passa a ser um problema quando adiamos algo que realmente precisamos, queremos ou assumimos fazer. E este adiamento também pode dizer muitas coisas. Vamos passar por alguns motivos do porque procrastinamos para você poder se observar e identificar o que lhe acontece.


Talento x fracasso ou Facilidade x dificuldade


Vamos começar a entender nosso comportamento ao procrastinar. Geralmente as coisas aleatórias que fazemos quando estamos procrastinando são coisas que dominamos, por exemplo, limpar algo, conversar com alguém, assistir um vídeo ou só olhar a internet... São ações que alimentam essa sensação de que estamos dando conta. Isso porque, muitas vezes, estamos protelando algo que nos traz o medo do fracasso.


Não é de hoje que, socialmente, paira sobre nosso crescimento uma crença de que o talento é natural, de que quem é realmente bom no que faz, faz naturalmente. Logo, quem não tem esse talento, tende ao fracasso. Essa percepção pode nos levar a não desenvolver o que queremos, aumentando nosso medo de descobrir que, de fato, podemos não ter aquele talento e fracassarmos ao terminar aquela atividade e percebermos que ficou horrível. Isso nos faz fugir da possibilidade dessa realidade acontecer.


É angustiante encarar a possibilidade de não conseguir ou tentar algo que não sabemos se ficará bom, mas o tempo vai correndo, os prazos existem e o medo de se transformar em algo terrível pode passar para o medo de se transformar em nada. Então, ao final, podemos inclusive dizer: “ah, não estudei, por isso não deu certo...”. Mas se conseguimos mesmo sem estudar ou treinar podemos ter aquela sensação de “ahá! Consegui mesmo assim, sou muito bom”.


Pois é, reconhecem o quanto isso pode ser um grande pano de fundo para muitas procrastinações? Aumentamos nosso grau de exigência conosco mesmos e nossa insatisfação constante com quem somos. Nos tornamos rígidos, fazendo apenas o fácil, o que nos é seguro e procrastinando onde podemos entrar em contato com o novo.


Então, reconheça que:

  • - as aprendizagens são constantes,

  • - os erros são momentos de ampliação de percepção,

  • - possuímos uma potência criativa,

  • - podemos aceitar os nossos processos de desenvolvimento eterno.


Comparação com os outros e com nós mesmos


Como se não bastasse essa percepção, ainda estamos inseridos numa cultura de comparação com o outro constante, seja na vida real ou virtual, sempre tem alguém que faz melhor e consegue fazer algo incrível. Mas também tem aquele que não faz bem, porém só aumenta o medo de passarmos vergonha em ser como ele. Percebem que mesmo com o esforço de muitas pessoas públicas apresentarem o processo da sua aprendizagem, superação e melhorias constantes, ainda assim podemos tender a uma comparação com o outro, estagnando o nosso processo?


Olhar para o outro pode nos distrair de nós, de quem somos, das nossas facilidades e dificuldades e da nossa forma de lidar com o que queremos desenvolver. E, claro, alimenta nossa procrastinação.


Outra comparação que costumamos fazer é com um ideal que criamos para nós. Por exemplo, você já pensou: “eu deveria ter feito isso, agora já é tarde”; “já passou meu tempo de conseguir, agora já estou atrasado”; “essa aprendizagem era para eu ter tido em outra fase da minha vida, deveria me sentir pronto agora”. Essa comparação que fazemos com esse ideal de nós também fica ali, esmagando nossa liberdade de experimentar e fazer acontecer.


Portanto, identifique as suas comparações e foque em quem você é!


Descanso e prazer


Muitas vezes a procrastinação vem acompanhada de: “preciso descansar um pouco” ou “também preciso de momentos de diversão”. Então, quando procrastinamos o que fazemos? Preenchemos nosso tempo com prazeres temporários, mas que depois trazem péssimas sensações, de mais estresse e sobrecarga, sem sentir que de fato aproveitamos aquele tempo.


Assim vale nos perguntarmos: será que estamos dando o real tempo de descanso e de lazer? Quando usamos nosso tempo de procrastinação obtendo pequenos prazeres (como navegar na internet) será que de fato esse prazer é assimilado por nós? É um descanso que nos faz sentirmos melhor depois? A procrastinação mascarada de descanso e diversão, na verdade, pode aumentar o cansaço.


Dificilmente com o peso da culpa e com a sensação de estar fugindo de algo, esse prazer/descanso será de fato incorporado nos trazendo mais disposição depois. Por isso, o descanso também é uma escolha para ser vivida e não algo para ser usado como forma de procrastinar o que você sente que precisa fazer, afinal, quem que descansado e relaxado não produz melhor, não é mesmo? Então, encontre o tempo para o descanso e a diversão!


Conexão com o que está sendo feito


A composição de uma percepção rígida, comparação e descaso com nosso prazer e descanso, nos desconecta do que está sendo feito. Por que mesmo topamos fazer isso?


O que nos leva a ter o compromisso com aquela situação/tarefa/atividade da qual estamos fugindo é algo que deixa de estar no nosso campo de percepção, chegamos a esquecer o motivo que nos faz ter aquilo para viver.


Se você já passou pelo primeiro tópico do nosso texto, de fato, o que você precisa fazer é algo que faz algum sentido para você e por algum motivo. Qual é?


Esse motivo passa longe da comparação, porque ele é só seu e do seu agora.


Passa longe do fracasso, porque quando temos um motivo interno não existe fracasso, existe processo até conseguir desenvolver.


Passa longe de um descanso e prazer superficial, porque nos dá energia e até mesmo organização para descansarmos com qualidade, alimentados pelo que queremos realizar.

Por isso é tão importante sentirmos a nossa conexão com as nossas escolhas, percebendo nossos motivos e sentidos. Mas para isso...


A relação com nós mesmos


Técnicas para não procrastinar existem várias, explicações sobre como enganar o cérebro para não procrastinar também, mas, de tudo, o mais importante é entender a nossa procrastinação e depois sim, com esse autoconhecimento, escolher como vamos lidar com a situação.


Lidar com quem somos, com nossos erros, limites, dificuldades, nos dá amplitude de entender o que podemos tender a procrastinar, além de nos conectarmos com nossa potência criativa, superação e desenvolvimento.


A relação com as pessoas é fundamental para nosso desenvolvimento, nossa convivência e saúde mental, mas a relação com nós mesmos também é. Perceberam como a procrastinação pode significar muitas coisas? E essa compreensão só é possível através do autoconhecimento, da compreensão de quem somos e do que nossas escolhas significam para nós. Assim podemos pegar a vida e as ações como nossas e dizer: isso eu faço agora e isso eu vou deixar para depois.


Esse processo de autoconhecimento pode ser desafiador. Então, não esqueça que você não precisa fazer sozinho, muitas vezes, pode ser muito confuso nos entendermos. Nesses casos, uma consulta psicológica on-line ou presencial pode te ajudar. Clique aqui e converse com uma das nossas profissionais, estamos juntos.



Doralina Marcon

Psicóloga

CRP 12/10882

(48) 99642-9889

Destaques
Recentes
Arquivados
Procure por Tags
Nos Acompanhe
  • Facebook Basic Square
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon

© Espaço Viver 2014. Todos os direitos reservados.

Localização

Endereço

Rua Fritz Müller, nº 50, Salas 601 e 602 Coqueiros - Florianópolis/SC

Telefones

(48) 3039 0907 | (48) 99642 9889

E-mail

contato@espacoviverpsicologia.com

Facebook