O que você pode esperar do psicólogo na psicoterapia?

“Já percebi que não estou dando conta sozinha de lidar com minhas preocupações, não consigo lidar com esses sentimentos bagunçados e essas sensações todas dentro de mim!! Mas como é a relação com um psicólogo? Como vou confiar em um estranho para dizer da minha intimidade?”

Se você se identifica em algum grau com a descrição acima, este texto poderá ajudá-lo a sanar suas dúvidas e a saber como encontrar um psicoterapeuta com quem se identifique. Para isto, passaremos pelos seguintes itens:

-O que posso esperar da relação com meu psicoterapeuta?

-Sinais que podem indicar um mau psicoterapeuta.

-Que postura um bom psicoterapeuta deve ter?

-Por que buscar um bom profissional?


O que posso esperar da relação com meu psicoterapeuta?


A psicoterapia tem a função de ajudar pessoas a se desenvolverem, a experienciarem suas vidas de uma forma mais construtiva. O psicoterapeuta, por meio de uma relação acolhedora, empática e interessada, vai facilitar uma relação em que você se sinta não julgado e consiga se expressar abertamente. É importante que a relação seja baseada em uma postura profissional, mas que você consiga criar um vínculo com seu terapeuta.

Pela característica complexa da Psicologia, existem diversas formas de compreender o ser humano e isso diferencia as práticas da Psicologia. Contudo, o fazer do psicólogo, por isso a importância de um terapeuta com graduação em Psicologia, deve se basear no Código de Ética Profissional do Psicólogo, que estabelece padrões esperados quanto às práticas dos profissionais da área.


Sinais gerais de um mau terapeuta


É importante o estabelecimento de uma conexão do cliente com seu psicoterapeuta, porém existem alguns sinais que dificultam essa relação. Seguem abaixo algumas características a serem evitadas em uma relação psicoterapêutica:

-Dúvidas em relação à confidencialidade: O cliente não se sentindo seguro na relação com o terapeuta geralmente limita as informações compartilhadas, dificultando a comunicação e compreensão de suas experiências. O sigilo, e sua efetivação, é fundamental para a psicoterapia.

-O terapeuta faz recomendações direcionando suas escolhas: Dar conselhos não é papel do psicólogo, mas sim de ajudar o cliente a perceber as possibilidades e a escolha deve ser livre e não julgada.

-Desrespeito pelos seus valores pessoais ou crenças: é proibido ao psicólogo induzir seus clientes sobre valores pessoais, políticos, filosóficos, ideológicos, entre outros. Suas crenças devem ser respeitadas.

-Desconsidera suas perguntas: se o cliente não se sentir ouvido de forma integral e tiver suas dúvidas sanadas, a relação terapêutica se torna frustrante.

-Autorrevelação frequente do terapeuta: o atendimento psicoterapêutico é um espaço de fala e reflexão para o cliente. Sentir-se disputando a possibilidade de fala ou que o foco não é o cliente, torna cansativo e não produtiva a psicoterapia.

-Deixa você se sentindo pior sem itens de ação: a psicoterapia pode ser angustiante, porque podemos, algumas vezes, explorar aspectos dolorosos de nossa existência. Contudo, o profissional deve auxiliá-lo nessa jornada de reflexão e pensar com você formas de ação diante deles.

-Julga ou envergonha você: a psicoterapia tem o intuito de ajudá-lo a desenvolver-se, o julgamento atrapalha o processo de conscientização do cliente sobre suas ações, fazendo a pessoa envergonhar-se e culpabilizar por suas ações, ao invés de facilitar a responsabilização das consequências de seus atos.

Se você perceber algum desses sinais, sugiro que reflita sobre a qualidade da relação que está estabelecendo com seu terapeuta. Algumas perguntas a se fazer são: “Estou me sentindo em uma relação que me auxilia a crescer? Eu me sinto bem me relacionando com este profissional?”



Que postura um bom psicoterapeuta deve ter?


A relação psicoterapêutica deve ser pautada em uma relação com um clima adequado para que o cliente se desenvolva. Para isso acontecer existem algumas características que devem estar presentes na postura do psicoterapeuta durante a relação com seus clientes:

-Deve se mostrar interessado e disponível para estar na relação com o cliente.

-Transmite uma postura de diálogo empático com seus clientes, onde não demonstra saber mais do cliente que ele mesmo.

-Confia na possibilidade de mudança e crescimento de seus clientes.

-É uma pessoa ativa na relação com os clientes, não só escuta.

-Demonstra uma postura profissional, assegurando o sigilo sobre o que é compartilhado.

-Estabelece uma relação em que o cliente sente que pode compartilhar o que quiser.

-Tem interesse no desenvolvimento da autonomia do cliente.

-Dá suporte para além dos momentos de sessão como, por exemplo, estar disponível para orientações em momentos de crise.

-Demonstra apropriação da prática psicológica.


Por que buscar um bom profissional?


Um bom profissional tem habilidades para ajudá-lo de uma forma mais integral, conseguindo estabelecer uma relação de ajuda baseada em características especiais que lhe transmitem acolhimento, confiança e empatia.

Estudos de psicologia demonstram que é essencial para uma boa relação de psicoterapia, aquela em que o cliente se sente efetivamente ajudado, que haja conexão entre psicoterapeuta. Já é desafiador abrir-se para perceber que precisamos mudar nosso jeito de lidar com os desafios da vida, por isso receber ajuda de uma forma eficaz, empática e respeitadora faz com que fique mais leve a trajetória de mudanças.




A psicoterapia é um processo de tomarmos consciência de quem nós somos, como agimos, para conseguirmos viver de um jeito autêntico. É um espaço em que a relação com o psicoterapeuta auxilia no processo de nos compreendermos e desenvolvermos cada vez mais. Se quiser conversar com uma de nossas profissionais para saber se esse serviço pode ajudá-lo é só clicar aqui. Estamos juntos neste objetivo de nos desenvolvermos!


Leia também: Como saber se é a hora de procurar um psicólogo?


Juliana Fitaroni

Psicóloga

CRP 18/02964

(48) 99642-9889

Destaques
Recentes