Como identificar uma crise de ansiedade?

Você sabe a diferença entre sentir ansiedade e ter uma crise de ansiedade? A ansiedade é um daqueles assuntos dos quais parece que sabemos tudo e ao mesmo tempo não sabemos nada, não é? Então chegou a hora de esclarecer aquelas dúvidas e confusões para compreender melhor o que você sente quando diz que está com ansiedade.


Vamos começar nos situando: se você vive no Brasil, você está no país mais ansioso do mundo. Segundo dados da OMS, são 18,6 milhões de brasileiros ansiosos, uma quantidade suficiente para alguns especialistas dizerem que vivemos uma epidemia de ansiedade. Então, vamos ajudar você a entender mais sobre:


  • - O que é a ansiedade?

  • - Porque a ansiedade gera reações físicas?

  • - Quando a ansiedade se torna prejudicial?

  • - Sinais de alterações de ansiedade.

  • - Como lidar com a ansiedade?


Compreendendo melhor o que você e muitas pessoas no mundo sentem, poderemos nos aproximar do lado bom da ansiedade.

O que é a ansiedade?



Sabe aquela sensação de frio na barriga, coração disparado, suor frio, respiração ofegante e contrações musculares que você sente quando está diante de um perigo iminente? Esta é a famosa ansiedade.


Se você já foi assaltado; se sofreu ou quase sofreu um acidente de trânsito, se recebeu uma notícia muito ruim, então já sentiu ansiedade. Ela também costuma aparecer diante de situações inesperadas, que colocaram sua vida em risco ou exigiram uma intensa e abrupta mudança na sua vida.


Bem, nestes casos ela não é necessariamente uma vilã. É uma reação natural do nosso corpo, herdada da nossa condição natural de espécie animal. Ela prepara nosso organismo, otimizando suas funções para nos proteger de situações de perigo. O conjunto de reações que a ansiedade desencadeia é conhecido como ataque ou fuga e graças a essas reações em cadeia é que nossa espécie sobreviveu aos desafios das transformações do mundo ao longo de milhares de anos.



As reações físicas da ansiedade têm um porquê:



- O metabolismo acelera e libera neurotransmissores e hormônios como a adrenalina, a noradrenalina e o cortisol preparando a distribuição de mais energia para as células, para que o organismo funcione na sua potência máxima.


- A respiração acelera para captar mais oxigênio e o coração dispara porque ele precisa bombear sangue para alimentar o cérebro e os músculos com mais nutrientes e oxigênio, rapidamente. É isso que nos permite pensar em saídas rápidas, ter explosão muscular suficiente para correr e força extra para remover obstáculos ou para enfrentar ameaças.


- Os órgãos dos sentidos ampliam suas capacidades. Você passa a escutar ruídos que antes passavam despercebidos; enxerga detalhes do seu campo de visão com um hiperfoco preciso, que facilitam rotas de fuga; sente cheiros específicos; aguça o paladar e sua pele fica tão sensível que seus pelos arrepiam. Seu organismo fica pronto, na sua melhor performance, para enfrentar o que vier.


Como você pode observar, são reações estressantes, mas necessárias para nossa sobrevivência. Se refletirmos com calma, podemos concluir que nem sempre será uma boa ideia desejar não sentir ansiedade, não é? Mas podemos desejar senti-la somente quando realmente for necessário. Ela se torna um problema de saúde mental apenas quando passamos a sentir essas reações em momentos em que não há um perigo iminente.


reações físicas da ansiedade


Então, a ansiedade pode ser um sentimento com reações físicas naturais esperadas e saudáveis, mas também pode ser uma reação descontextualizada, com intensidades extremas e prejudicial à saúde.







Quando a ansiedade se torna prejudicial?


Nossos predadores na vida moderna não são mais animais ferozes, mas sim problemas complexos e subjetivos, que exigem inteligência e habilidades estratégicas para serem resolvidos. Refiro-me a desafios no trabalho; necessidades financeiras; conflitos relacionais ou até acontecimentos globais como epidemias e crises ecológicas.


Estes são exemplos das ameaças contemporâneas que desencadeiam o sentimento de ansiedade e suas reações. É como um grande sistema de alerta, que dispara reações sequenciadas de proteção, que já estão um tanto ultrapassadas para nossas necessidades atuais.


Com exceção da oxigenação cerebral, que nos ajuda a refletir, talvez todas as demais reações corporais poderiam ser minimizadas na maioria das situações de perigo atuais, já que elas trazem mais prejuízo do que benefícios para nossa saúde e bem estar. Mas para isso, vamos ter que ensinar nosso organismo a atualizar-se neste aspecto, pois nem sempre entendemos porque nosso corpo está dando alertas de perigo. Nosso organismo pode ficar tão confuso, que dispara reações sem nem sequer ter contexto aparente. Este é o ponto em que a ansiedade pode se tornar prejudicial.


ansiedade e alterações no dia da dia


Fique atento! Quando as reações de ansiedade estiverem alterando a funcionalidade do seu dia a dia ou fazendo com que você deixe de viver algo da sua experiência, pode ser um sinal de que as suas reações ansiosas estejam desproporcionais aos acontecimentos.

Sinais de alterações de ansiedade:


Você pode experimentar ao menos três dessas variações:


Ansiedade natural e saudável diante de situações de risco, ou quando seu organismo precisa de alterações para mover-se em direção a algo novo.


Ansiedade disfuncional e generalizada que aparece mais vezes do que deveria no seu dia, de uma forma continuada, com alguns sintomas orgânicos que podem variar entre:


  • - Falta de ar;

  • - Aperto no peito;

  • - Inquietação;

  • -Tensão frequente e excessiva;

  • - Sudorese;

  • - Má digestão;

  • - Alterações no sono;

  • - Alterações de apetite;

  • - Alterações na sexualidade, entre outros…

*Leia mais sobre ansiedade generalizada.


Crise de ansiedade, um episódio agudo e intenso que pode durar em torno de 2 a 20 minutos. É uma reação explosiva, frequentemente confundida com uma crise cardíaca, que pode gerar:


  • - Sensação de desmaio;

  • - Tontura;

  • - Hiperventilação,

  • - Taquicardia,

  • - Sudorese intensa,

  • - Ânsia de vômito, entre outros…



Como lidar com a ansiedade?

como lidar com a ansiedade

Diante disso tudo, é inevitável associarmos a ansiedade aos desafios do desenvolvimento global acelerado, e às transformações que o modo de viver humano vem experimentando nos últimos anos. Podemos até dizer que as alterações de ansiedade são efeitos colaterais ou dificuldades de adaptação à este processo.


Então, aprender a lidar com ela, de uma forma mais funcional, torna-se indispensável para o seu processo de desenvolvimento pessoal. Se vivemos momentos em que somos desafiados a transformar crises em oportunidades, precisaremos fazer o mesmo com a ansiedade. Podemos transformar suas crises em um laboratório de inteligência emocional.


Nossas sensações amplificadas podem nos mostram o que não estávamos vendo sobre nós mesmos. O que inicialmente nos apavora pode nos levar às habilidades que precisamos desenvolver para enfrentar e superar nossos desafios.


Então, se você quer transformar sua relação com a ansiedade, estes pontos podem ser úteis:


Use a sua ansiedade a seu favor: Você pode encontrar nos seus sentimentos grandes aliados no seu processo de desenvolvimento. A ansiedade pode ser produtiva quando fornece a disposição necessária para movimentos de mudança e de inovação.


Se você está sentindo ansiedade com frequência de uma forma desfavorável para o seu bem estar, é muito provável que esteja com dificuldades de reconhecer seus pontos de melhoria. Isto porque tendemos a considerar como uma ameaça tudo aquilo que contradiz o que pensamos ser. Sabemos que reconhecer nossas dificuldades ou características que precisamos melhorar, não é muito agradável, mas você deve concordar comigo que sentir ansiedade sem saber porque, também não é. Se você estiver aberto para enxergar aquilo que precisa aprimorar nas suas características pessoais, atitudes e hábitos, poderá alavancar seu desenvolvimento e observar sua ansiedade diminuir.


Quando você sentir as sensações características da ansiedade, não busque, a qualquer custo, fugir delas. Se até agora você tentou se distrair, esse é um recurso pouco resolutivo, que pode levar a reações mais intensas em novos episódios. Ao contrário disso, experimente reconhecer as reações que estão acontecendo no seu organismo, elas são um alerta e podem apontar a direção do que você está reconhecendo como uma ameaça a sua auto-imagem.


Se você estiver diante de episódios de crise de ansiedade, aquelas reações mais intensas e paralisantes, encontre um lugar para se aconchegar onde possa sentir mais segurança e tente respirar mais profundamente, isso vai ajudar a minimizar a frequência cardíaca. E lembre-se: a crise não durará mais do que alguns minutos. Não deixe de procurar um médico para descartar possíveis adoecimentos orgânicos e um profissional da psicologia para ajudar você a lidar com seus sentimentos.


Aprender a lidar com a ansiedade pode ser o seu trunfo para se desenvolver pessoalmente e para alcançar o sucesso profissional. Para isso você vai precisar de coragem para sentir as reações naturais do seu organismo sem paralisar e abertura para desfazer distorções e perceber a complexidade da vida. E então, vamos viver essa experiência?


Sabemos que nem sempre isso é fácil e se você perceber que precisa de ajuda para lidar com sua ansiedade, a Psicoterapia presencial ou a Consulta Psicológica on-line podem ser o caminho!


Clique aqui e converse com uma de nossas psicólogas para conhecer mais e entender o que faz sentido para você.pode ser que você se você precisar de ajuda neste processo, conte conosco!



Maira Flôr

Psicóloga

CRP 12/08932

(48) 99642-9889 




Destaques
Recentes