Como conviver com as crianças em época de isolamento social?

Todos em casa! Nunca passamos tanto tempo juntos com nossas famílias, não é mesmo? E o que fazemos com esse tempo juntos? Como lidar com as crianças nesse momento em que todos estão tentando se adaptar ao mesmo tempo? Adultos e crianças, juntos em uma mesma situação precisando se reinventar.


crianças e isolamento

Nós não temos as respostas sobre como será o futuro, e estamos aprendendo no dia a dia como viver o hoje. Como podemos ajudar nossas crianças a lidarem com o que também sabemos tão pouco? Estamos reaprendendo o que são a realidade, nossas relações, nossos sentimentos e as adaptações para as atividades diárias.


Os diferentes perfis familiares

Para começar, sabemos que a realidade de cada família é diferente. Temos os pais que ficaram com menos tempo do que antes, pois o trabalho pode ter aumentado para dar conta da nova realidade. Pais que trabalham em casa e estão se sentindo sobrecarregados com o cuidado das crianças. E, ainda, temos aqueles pais que estão sem trabalhar e que nem por isso estão tranquilos, já que nunca estiveram integralmente com as crianças.


Percebem o quanto está desafiador para todos? Alguns vão nos dizer ok, mas o fato dos filhos estarem em casa significa que estão em um lugar seguro e que os pais podem ter liberdade de criarem o ambiente ideal para uma rotina gostosa de viver e aproveitarem quando se encontram. Sim! Essa é uma possibilidade muito salutar. Com maior ou menor tempo os pais podem ajudar seus filhos a coordenar e manter o ritmo das atividades, que podem ser compartilhadas ao longo do dia ou no fim do dia.


Mas você deve estar pensando o quanto isso pode ser difícil, não é? Sim, precisaremos inverter nossas lógicas! Acreditamos que o isolamento social é uma possibilidade para explorar a relação com os filhos, aproximando-nos ainda mais do seu processo de aprendizagem e de novas brincadeiras. A pandemia tem se mostrado um momento ideal para pais e filhos se conhecerem ainda mais e se divertirem juntos.


Sim! E estas reflexões servem também para os que não podem estar juntos na maior parte do tempo. Isso será possível,se aproveitarem o poder da presença. Sabe o que significa presença? “existir em algum lugar; existência”. Estamos aprendendo que podemos existir em uma relação para além da forma presencial.


Uma das maiores descobertas destes tempos de pandemia são as muitas formas de estarmos perto. E podemos aprender a existir na relação com nossos filhos, mesmo sem estamos presentes fisicamente a maior parte do tempo. Esse é um novo tipo de presença!


Vocês devem estar se perguntando: Mas como fazer isso? Para ajudar vocês a estarem com suas crianças, vamos apresentar alguns conhecimentos que podem facilitar. Vamos refletir sobre:


- As diferentes faixas etárias e o desafio de cada uma delas.

- 4 pontos importantes para a criança em tempos de isolamento social.


Seja qual for sua realidade, novas compreensões sobre o mundo infantil podem te ajudar a viver esse momento. Vamos lá!


As diferentes faixas etárias e o desafio de cada uma delas

Sabemos que cada fase de desenvolvimento da criança é uma surpresa! Cheia de novidades e desafios! Por isso, antes de refletirmos sobre o que pode ajudar a sua criança a viver esses tempos de isolamento social, é importante que você localize qual o principal desafio do desenvolvimento em que ela está. Isto pode te ajudar a compreendê-la e refletir sobre como planejar suas ações de acordo com o desenvolvimento infantil.

diferentes faixas etárias

O desenvolvimento humano é o estudo dos processos de mudanças e estabilidades que passamos ao longo da vida. Organizamos a apresentação por faixas etárias para que seja mais fácil localizar as características. Porém o desenvolvimento humano recebe muitas influências e não pode ser avaliado de forma simples e estática, por isso pode ser que você encontre características da sua criança em outra faixa etária, vai depender do processo de desenvolvimento dela, que é único.



0-1 ano: nessa fase tudo que a criança precisa é de atenção, não é mesmo? Ela é completamente dependente de nós e ainda está aprendendo tudo pelo que chamamos de movimentos circulares, em que repete constantemente uma mesma ação. Afinal TUDO é novidade para ela. Então podemos nos esbaldar nas brincadeiras repetitivas que estimulam a criança a sentir o mundo.


1-3 anos: com essa idade algumas coisas já não são mais novidades e por isso elas já podem passar para o próximo passo: perceber o outro e os objetos começando a diferenciar dela mesma e representar o mundo através da brincadeira. Podemos usar do lúdico e de diversas formas de representação de um mesmo objeto, como vários tipos de carrinho e as mil coisas que podemos fazer com ele ou ainda todos os tipos e tamanhos de bola e as várias brincadeiras possíveis com ela.


3-6 anos: depois de tanto representar a vida, a criança começa a se sentir mais autônoma. Quer agir sozinha e já tem condições para ensaiar essas atividades. Interessa-se por ser a ajudante e mostrar o quanto consegue fazer por si. Nesta fase podemos auxiliá-la neste processo de autonomia nas suas pequenas ações no dia a dia.


6-9 anos: depois de treinar agir por si mesma, ela começa a reconhecer que o mundo é maior que ela e nem sempre vai dar conta sozinha. Aqui ela começa a desenvolver essa flexibilidade de entender que a vida é complicada e precisa de espaço para expressar as emoções que geram esta noção de realidade, por meio de brincadeiras expressivas.


9-12 anos: nesta idade ela já conseguiu reconhecer que o mundo não pode ser do seu jeito e por isso aprende a negociar. Jogos aparecem com força e podem ser usados para treino de negociações nas atividades diárias, afinal ela não sabe negociar, está só aprendendo.


Adolescência: quando chega a adolescência a criança está pronta para iniciar sua caminhada para a responsabilização dos seus atos, abre-se a possibilidade de desenvolver uma grande parceria dentro do ambiente familiar.


4 pontos importantes para a criança em tempos de isolamento social

Ver o desenrolar do desenvolvimento humano é incrível, não é mesmo?

Além do transcorrer das fases ao longo das idades, ainda temos as áreas de desenvolvimento infantil que todas as crianças viverão. São elas: cognitiva, psicomotora, afetiva e social. E acredite, é possível facilitar a localização dessas áreas de desenvolvimento através de 4 pontos importantes para os tempos de isolamento social!



1. Noção de tempo e rotina: você já deve ter lido em mil lugares nos últimos dias porque é tão importante manter uma rotina neste período de isolamento. Por não termos mais compromissos com hora marcada fora de casa, como a escola, a rotina nos ajuda na organização do dia para que ele não se perca! Para as crianças tem algo ainda mais importante: a noção de tempo! Por isso, construir uma rotina que a criança possa acessar, de forma visual, os passos anteriores e posteriores irá ajudá-laa concretizar o tempo transcorrido. A partir desta ferramenta, conseguimos mostrar também o que estamos vivendo neste período de isolamento,deixando-a mais localizada nos seus dias e nas suas ações. Este desenvolvimento acontece na área de desenvolvimento cognitivo.


2. Energia acumulada: algumas crianças podem ter dificuldade de dormir neste período, afinal, podem não gastar toda a energia que têm em casa. Quando criança, nossa energia toda serve para nosso processo de desenvolvimento. E uma das áreas que está sendo desenvolvida é o nosso mover-se no mundo. Correr, pular, girar... todas estas ações, que parecem estripulias, têm uma função muito importante para o desenvolvimento psicomotor. Por isso, é fundamental que neste período sua criança tenha algumas alternativas para movimentar seu corpinho. Usem a criatividade junto com ela.Pode ter certeza que ela terá ideias mirabolantes!


3. Os sentimentos: se para nós adultos esta situação gera um turbilhão de sentimentos difíceis de lidar, com certeza a criança sentirá também, afinal, ela é mais afeto do que razão! E seu desenvolvimento afetivo ainda está em construção, por isso ela não sabe o que fazer com tudo o que sente. É através da expressividade da brincadeira que ela organiza de várias formas o que está percebendo e expressa seus sentimentos para encontrar saídas para eles. Aqui percebemos a importância novamente de concretizar o que está sendo vivido. A criança não tem o desenvolvimento abstrato completo, por isso, todos os recursos concretos, visuais e demonstrativos são sempre bem-vindos! Além de serem importantes para ela não só receber as informações, mas também para expressar as suas emoções e o que está entendendo sobre tudo.


4. Estamos juntos, tanto em casa quanto no desafio dos estudos: não é só o adulto que está precisando se reinventar, nem está difícil apenas para as crianças se adaptarem. Estamos todos juntos e somos todos responsáveis pela transformação em um mesmo momento. Todos são responsáveis pelo clima da casa, todos são responsáveis por construir novas possibilidades na educação. Inclusive a criança! Estudar em casa através do ensino on-line e as atividades a distância tem sido um desafio para todos: escola encontrando novas saídas, professores reinventando formas de ensinar, pais precisando ajudar os filhos em casa e crianças aprendendo de outra maneira. E, talvez, pela primeira vez na história, estamos no mesmo nível de construção de algo novo. A criança pode ser parceira neste processo e, com certeza,será um presente para o seu desenvolvimento social.


estamos juntos

São tantos os aspectos no desenvolvimento infantil, não é mesmo? Sim, o ser humano é muito complexo. Mas se localizarmos o momento em que estamos, a faixa etária da sua criança e os principais desafios que ela pode estar vivendo nas suas áreas de desenvolvimento, poderemos criar novas ações viáveis. E, então, está pronto para montar os seu quebra-cabeça? Volte aos itens e localize:


-Seu perfil familiar;

-A fase de desenvolvimento da sua criança;

-O ponto desafiador da sua rotina.


E agora é hora de criar! Sabemos que acompanhar estes processos de desenvolvimento nem sempre é fácil, principalmente se sua criança apresenta peculiaridades no desenvolvimento. A singularidade de cada uma pode causar mais complexidade do que damos conta de lidar. Então, se sentir que precisa de ajuda, não esqueça: você não está sozinho nessa! Conte conosco para ajudar você a lidar com a realidade da sua criança.



Leitura complementar:


Recomendações para o cuidado da Saúde Mental de crianças em situação de isolamento hospitalar - Fiocruz

Doralina Marcon Maira Flôr

Psicóloga Psicóloga

Destaques
Recentes
Arquivados
Procure por Tags
Nos Acompanhe
  • Facebook Basic Square
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon

© Espaço Viver 2014. Todos os direitos reservados.

Localização

Endereço

Rua Fritz Müller, nº 50, Salas 601 e 602 Coqueiros - Florianópolis/SC

Telefones

(48) 3039 0907 | (48) 99642 9889

E-mail

contato@espacoviverpsicologia.com

Facebook