Outubro Rosa: seu autocuidado pode salvar sua vida


Venho de uma história cercada de mulheres por todos os lados. Uma família materna composta de 9 filhas mulheres e 2 homens. Uma avó paterna benzedeira, símbolo de força na comunidade. Durante a infância, uma casa com 4 mulheres e, adivinhem, uma profissão e uma equipe de trabalho formada prioritariamente de mulheres. Esse é um dos motivos pelos quais, quando o outubro chega, o coração começa a bater mais forte pelo cuidado do feminino!


Neste mês o mundo inteiro fica rosa e se engaja nas campanhas de cuidado feminino e de combate ao câncer de mama. Isto porque essa é a segunda doença mais comum entre as mulheres no mundo. Segundo dados do INCA, foram esperados 59.700 novos casos de câncer de mama no brasil em 2018 e desses apenas 1% foi em homens. Isso mesmo, homens também têm câncer de mama apesar de serem casos raros. Em 2017 foram registrados 16.927 mortes, sendo 203 homens e o restante mulheres.


Sabemos o quanto muitos adoecimentos podem ser prevenidos e outros, como o câncer de mama, podem ser diagnosticados de forma precoce, aumentando consideravelmente as chances de sobrevivência. E o maior empecilho para isso tem sido a falta de cuidado feminino.


O corpo feminino tem características orgânicas peculiares. São ciclos hormonais e estruturas morfológicas que trazem necessidades de autocuidado que contemplem essas características. Há períodos do ciclo menstrual em que precisamos ingerir mais água e outros momentos do ciclo em que sentimos dores nos seios e cólicas. E não para por aí, esses ciclos variam também com a idade. Uma mulher na menopausa pode passar por alterações na temperatura do corpo, gerando os famosos calorões. Estamos falando de hormônios, já percebeu não é? O humor e as emoções também pegam carona em uma montanha russa. Ufa, quantas alterações não é mesmo?


Vivemos isso tudo enquanto estamos envolvidas em nossos projetos de vida. Temos duplas ou triplas jornadas de atividades. São tantas coisas a fazer que nos desconectamos do funcionamento dos nossos ciclos. Nossas heranças históricas e sociais nos levaram a uma multifuncionalidade em meio a qual cuidar de nós mesmas tornou-se um compromisso secundário. Perdemos o contato com nosso funcionamento e, quando percebemos, já faz tempo que não observamos nosso corpo, nosso humor, nosso bem-estar.


São tantos os sinais que poderíamos observar: nossos seios, por exemplo, mostram alterações palpáveis, como o volume que varia mensalmente. Mas também pode aparecer uma alteração nova, uma massa que antes não estava ali, uma vermelhidão, um enrugamento na pele. Se resgatarmos o contato com nossos ciclos saudáveis, podemos perceber as alterações indicativas de situação de risco. Talvez você não saiba, mas a maior parte dos cânceres de mama foram encontrados pela primeira vez pelas próprias mulheres. Isso quer dizer que todas nós precisamos restaurar e ampliar nossa percepção do nosso corpo.


Alguns dos principais fatores de risco para o câncer de mama envolvem hábitos como sedentarismo e aumento de peso, uso de contraceptivos hormonais (INCA). Desta forma, além de perceber o funcionamento do nosso corpo, desenvolver hábitos saudáveis pode fazer toda a diferença. Então, aí vai uma afirmação que pode ser óbvia, mas também é forte: Seu autocuidado pode salvar sua vida!


Selecionamos duas reflexões para que você não se esqueça:


1. Não deixe seu medo te paralisar: um dos maiores desafios do autocuidado preventivo é o medo. É muito provável que muitas de vocês tenham sentido desconforto toda vez que leram que vocês podem ter câncer de mama e que a prevalência é alta. Assustador ou não, é uma realidade possível. Então, fugir do autoexame não vai excluir essa possibilidade. Mas, se identificarmos fatores de risco, podemos aumentar as chances de vida.


2. Seus ciclos podem ser seus aliados: historicamente e socialmente aprendemos que precisávamos nos tornar parecidas com os homens para sermos reconhecidas. Essa compreensão foi um prato cheio para ignorarmos nossas peculiaridades femininas. O que não percebemos é que, se alcançamos tudo o que estamos conquistando, gastando energia tentando nos negligenciar, imaginem o que podemos conquistar se nos respeitarmos? Pense nisto! Seus ciclos podem dar sinais da sua necessidade de descanso, para que, e seguida, possa tornar-se muito mais efetiva.


Somos muitas mulheres com características únicas. Descubra as suas, cuide de você e se puder, espalhe por aí esta ideia. Estamos juntas, por mais TOQUES de CORAGEM!


Se precisar de ajuda para se descobrir e cuidar de você a Psicoterapia presencial ou a Consulta Psicológica on-line podem ser o caminho!


Clique aqui e converse com uma de nossas psicólogas para conhecer mais e entender o que faz sentido para você.


Maira Flôr

Psicóloga

CRP 12/08932

(48) 99642-9889

Destaques
Recentes
Arquivados
Procure por Tags
Nos Acompanhe
  • Facebook Basic Square
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon

© Espaço Viver 2014. Todos os direitos reservados.

Localização

Endereço

Rua Fritz Müller, nº 50, Salas 601 e 602 Coqueiros - Florianópolis/SC

Telefones

(48) 3039 0907 | (48) 99642 9889

E-mail

contato@espacoviverpsicologia.com

Facebook