Descubra o que há de incrível em uma pessoa com Síndrome de Down

“Todo mundo é um gênio. Mas se você julgar um peixe por sua capacidade de subir em árvores, ele viverá o resto da vida acreditando que é estúpido.” (Albert Einstein)

Você já se perguntou o que há de incrível em uma pessoa com Síndrome de Down? Sabe por que o dia 21/03 foi reservado para comemorarmos uma síndrome?


É bem possível que você tenha algum conhecimento sobre o assunto. Afinal, todos nós já cruzamos com uma pessoa com essa síndrome, não é mesmo? Seu cabelo liso e fino, nariz pequeno e achatado, olhos amendoados e um sorriso cativante não passariam despercebidos de um observador sensível.


Não é novidade, para a maioria das pessoas, que esse conjunto de características físicas é fruto de uma alteração genética, caracterizada pela presença de um cromossomo extra no gene 21. Dois cromossomas que se transformam em três, gerando a trissomia 21.


Veja que interessante!!! Por oportuno, foi escolhido o dia 21/03 para abraçarmos todas as pessoas com Síndrome de Down e mostrarmos ao mundo que elas são mais do que uma dificuldade motora oriunda de uma musculatura excessivamente “relaxada”, uma tendência para doenças cardíacas e respiratórias e um funcionamento cognitivo abaixo do esperado para sua idade.

Quem nunca se sentiu tocado pelo sorriso contagiante e o jeito de ser amável de uma pessoa com Síndrome de Down?


É tão cativante que podemos até ficar com a impressão de que elas sentem mais alegria do que qualquer um de nós! Mas, na verdade, elas têm os mesmos sentimentos agradáveis e desagradáveis que nós temos. A diferença está na ausência de juízo de valores.


Isso mesmo! As pessoas com trissomia 21 observam o mundo sem julgamentos morais. É essa característica que lhes dá a capacidade de captarem, com maior facilidade, os sentimentos que estão presentes em uma relação e explica o fato de serem imensamente prestativos e atenciosos com o outro.


Fica impossível não se sentir cuidada ao lado delas!


É lógico que nem tudo são flores e que não é pouco comum reconhecermos expressões afetivas inadequadas, mas elas representam apenas uma manifestação das dificuldades de linguagem.


No geral, encontramos pessoas com trissomia 21 que, como a nossa primeira professora com Síndrome de Down no Brasil, nos ensinam a ter educação, respeito, aceitação e solidariedade com o outro. Com elas aprendemos que esse jeito sensível, sincero e sem juízo de valores nos dá a possibilidade de estar na vida de um jeito mais positivo e leve, lidando com as situações apenas como mais uma oportunidade de tentar de novo.


Vamos aprender com elas o que faz parte do seu jeito de ser! Elas estão nos pedindo: “Não me julgue. Eu nasci para ser incrível, não perfeito”.



Confira o vídeo de um adolescente entrevistando seu irmão com síndrome de Down: "Uma simples entrevista".


*foto referente à campanha da OshKosh.

Doralina Marcon Anita Bacellar

Psicóloga Responsável Técnica

Destaques
Recentes